Terreno do Quilombo do Camorim foi reconhecido como sítio arqueológico pelo IPHAN

Este vídeo só está disponível para usuários cadastrados.

Faça LOGIN (abaixo), pelas Redes Sociais (no canto superior direito) ou Registre-se clicando aqui >>> CADASTRO GRATUITO.

89,634 Visualizado
Publicadas

No dia 20 de fevereiro, aconteceu bairro do Camorim, um marco para a história da cidade do Rio de Janeiro, através o reconhecimento oficial do Sítio Arqueológico do Engenho do Camorim, celebrado com a fixação de uma placa de identificação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, responsável pela preservação do acervo patrimonial material e imaterial do país.
Esta conquista não seria possível sem o auxilio da arqueóloga Sílvia Peixoto, que ao desenvolver pesquisas para seu Doutorado, através de escavações, resgatou fragmentos de materiais arqueológicos datados do século XVII, comprovando o fato de que alí funcionou o engenho de Gonçalo Correia de Sá, de onde surgiram as primeiras resistências escravas de origem africana, que vieram a formar no maciço da Pedra branca os primeiros quilombos.
A partir desta conquista a Associação Cultural Quilombo do Camorim, ACUQCA, elém de preservar o espaço como o berço dos remanescente quilombola do Camorim, poderá realizar atividades sociais, culturais, ecológicas e sustentáveis, que mantenham viva as tradições pela folclorização da cultura e identidade negra.

Categoria
Arte e Cultura Camorim
Efetue Login ou REGISTRE-SE para Postar Comentários.
Seja o primeiro a comentar